LABSLETTER #31

SEMANA DE 23 A 30 DE AGOSTO

De acordo com uma pesquisa feita nesta semana pela Coinbase, uma das maiores exchanges do mundo, 18% de jovens universitários nos EUA já possuem criptomoedas. Além disto, 21 das melhores 50 faculdades nos EUA (ranking do U.S. News and World Report) oferece algum curso de criptomoedas e blockchain. Também de acordo com a pesquisa, 34% dos alunos de ciência da computação manifestaram interesse por cripto e blockchain em relação a 46% de estudantes de ciências sociais que expressaram o mesmo interesse. Faculdades de alta reputação como as universidades de Stanford, Cornell e Georgetown já disponibilizaram maiores oportunidades para pesquisadores nessa área, indicando um maior interesse pela disciplina no âmbito do ensino superior por parte tanto dos alunos como das instituições.

Nesta semana, também foi reportado o call bissemanal entre os desenvolvedores da rede Ethereum. A segunda maior rede por valor de capitalização de mercado, em aproximadamente 28.3 bilhões de dólares, está se aproximando ao prazo do seu próximo update de software, o Constantinople. Este update será implementado por meio de um hard fork, e por mais que existam EIPs (Ethereum Improvement Protocols) ou melhorias consideradas unanimemente positivas para a rede, como a introdução de medidas de escalabilidade – os chamados state channels -, existem algumas propostas que requererão maior cautela ao serem implementadas, especialmente porque existem incentivos que devem ser alinhados pelos diversos players (mineradores, investidores) que por natureza estão em conflito. Por exemplo, o EIP 1295 visa reduzir a emissão da recompensa por blocos “uncle” (um tipo de bloco que não é adicionado ao block chain, mas cuja criação é incentivada) de 3 ETH a 2 ETH; isto tem gerado certa controvérsia com o próprio Vitalik Buterin, que manifestou preocupação sobre a proposta, tendo inclusive afirmado que isso poderia levar a uma maior centralização da rede. A preocupação central em relação à implementação da Constantinople é devido à bomba de dificuldade que está programada para ativar no começo de 2019. Estima-se que Constantinople venha a ser implementado entre outubro e novembro deste ano.

Finalizamos a semana com a entrevista de Jordan Belfort com a CNBC (Lobo de Wall Street); Jordan fez sua fortuna através da venda de “penny stocks” a investidores na década de noventa. Similarmente aos esquemas de “Pump and Dump” que vemos hoje em dia no mundo das criptomoedas, o esquema de Jordan Belfort era enganar investidores através da manipulação de preço de ativos, inflacionando-os artificialmente. Belfort é um forte crítico de Bitcoin, e reiterou na entrevista realizada pela CNBC que “era um golpista, tinha tudo estudado em base a ciência, e é exatamente o que está acontecendo com bitcoin”. Entusiastas de cripto expuseram sua frustação no Twitter, tendo enfatizado que não era aceitável ao ecossistema dar uma plataforma com tanta visibilidade a alguém que passou vários anos defraudando investidores em esquemas de manipulação de ativos financeiros e que agora passa os s eus dias superficialmente atacando a legitimidade do Bitcoin. Isto demonstra a falta de real interesse que alguns meios tradicionais têm em realmente disseminar um conteúdo rico, informativo e imparcial sobre criptomoedas para as massas.

Huobi, exchange com base em Cingapura, compra ações de uma empresa pública por US$ 70 milhões (Coindesk) A compra permitirá que a Huobi possa, no futuro, cotizar na bolsa de Hong Kong.

 

Irã vai em frente com planos de lançar sua própria “criptomoeda” (ETHNews) A emissão da suposta “criptomoeda” será controlada pelo banco central e um blockchain privado será desenvolvido.

 

O presidente da Venezuela exige que bancos adotem a “criptomoeda” Petro (newsBTC) Maduro está forçando que bancos adotem a Petro como unidade de conta.

 

Dfinity, empresa que visa construir uma internet descentralizada, captou US$ 102 milhões (Techcrunch) A empresa captou recursos da Polychain Capital e Andreessen Horowitz.

 

Vencedor do FOMO3D, um dos Dapps mais usados da rede Ethereum, lucra US$ 3 milhões (Motherboard) O jogador propositalmente congestionou a rede Ethereum para vencer o jogo de apostas.

 

Yahoo Finance disponibilizou a venda de ETH, BTC e LTC em sua plataforma (FXstreet) Yahoo Finance é a ultima plataforma tradicional a começar a oferecer criptos.

Lições difíceis para investidores em criptomoedas (Nathaniel Popper; NYTimes) Popper relata sobre diversos investidores inexperientes que perderam até 90% de seu patrimônio investindo em criptomoedas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>