LABSLETTER #27

SEMANA DE 31 DE JULHO A 7 DE AGOSTO

Presenciamos nesta semana mais um intenso debate sobre a aprovação de um ETF de bitcoin pela SEC, órgão equivalente à CVM dos EUA. Como destacado na semana anterior, a eventual aprovação do pedido de ETF apresentados ao órgão pelas empresas VanEck e SolidX, cuja decisão foi adiada hoje para o dia 30 de setembro, poderia demorar um total de 395 dias além do prazo inicial. O diretor da VanEck, Gurbachs, entretanto, afirmou nesta semana que o pedido apresentado possui instrumentos de combate a fraude, fato que refutaria muito dos argumentos os quais autoridades da SEC utilizaram para justificar as extensões de prazos. O pedido apresentado estabelece o preço do ETF em US$200.00, servindo como uma espécie de controle, na qual apenas investidores credenciados poderão investir. Segundo Balchunas, analista sênior da Bloomberg Intelligence, a SEC estará mais disposta a aprovar tal pedido, visto que é direcionado à investidores institucionais. Vale destacar, ainda, que uma decisão final a respeito do pedido de ETF de bitcoin das empresas pode ser anunciado apenas em março de 2019.

A semana foi também marcada pelo primeiro IPO de uma empresa de cripto na bolsa de valores de Londres, ou a London Stock Exchange (LSE). A empresa com sede na Inglaterra, Argo Mining, arrecadou US$ 32.5 milhões ao disponibilizar 53.2% do seu capital social emitido para venda. A Argo visa tornar a indústria de mineração de criptomoedas mais acessível para investidores varejistas, dado que mais de 90% do mercado de mineração de cripto é dominado por um grupo enxuto de empresas como, por exemplo, a Bitmain da China. O IPO da Argo é um passo importante para a legitimação da indústria de criptomoedas como um todo e estabelece um importante precedente para futuros IPO’s de empresas de criptomoedas na LSE, e em outras bolsas de valores pelo mundo.

Por outro lado, a comunidade de entusiastas de criptomoedas que utilizam a rede social Twitter, popularmente conhecido como “cripto Twitter”, continuam a apresentar denúncias de robôs, ou “spam bots”, que na tentativa de cometer fraude, se passam por usuários legítimos no Twitter. Pesquisadores da empresa de ciber segurança Duo Security analisaram 88 milhões de contas no Twitter, e usando tecnologias a base de machine learning, descobriram uma única rede de mais de quinze mil contas comprometidas em uma estrutura de três camadas. A primeira camada engloba os bots que criam contas passando-se por usuários legítimos, a segunda camada, os chamados “hub accounts” são outros bots que seguem os bots passando-se por usuários legítimos a fim de defraudar outros usuários honestos; e finalmente, a terceria camada, que seriam os bots de amplificação, os bots que interagem com posts de outros robôs a fim de dar legitimidade aos mesmos.

Finalizamos a semana com a notícia de que o Goldman Sachs poderia estar explorando soluções de custodia de criptomoedas; no entanto, um porta-voz da Goldman disse ainda não ter chegado a uma decisão final. Se o banco de investimentos tomasse uma decisão para implementar soluções de custodia, como a Coinbase recentemente fez para clientes institucionais poderem depositar quantias superiores a US$ 10 milhões, o banco sinalizaria para outros investidores uma maior legitimação do mercado. É importante destacar, ainda, o fato de que a Goldman foi uma das primeiras instituições financeiras a operar contratos futuros de Bitcoin na CME e no CBOE, ainda que não tenha se posicionado oficialmente a respeito de sua mesa de operação de criptomoedas.

Bill Clinton é selecionado para ser o principal palestrante na Swell Conference, conferência organizada pela Ripple (CCN) Muitos entusiastas de criptomoedas no Twitter manifestaram confusão ao ler o anúncio da Ripple; não há indícios de que o ex-presidente Clinton tenha conhecimento sobre criptomoedas.

 

A bolsa alemã, Boerse Stuggart, inaugurará exchange de criptomoedas e também uma plataforma para lançamento de ICO’s (ETHNews) A segunda maior bolsa de valores da Alemanha, também anunciou em abril, o lançamento de um aplicativo de trading de cripto.

 

OKEx confirma Clawback de US$ 9 milhoes após operação de futuro falida (Coindesk) Uma das maiores exchanges do mundo, a OKEx, teve que intervir e forçar uma liquidação de um trader com uma posição aberta de US$ 400 milhões em futuros de bitcoin; o fundo de segurança da OKEx conseguiu cobrir uma parte das perdas, mas outros traders tiveram que arcar com parte das mesmas.

 

A Coinbase e a Robinhood anunciam suporte à Ethereum Classic (ETC) (Ethereumworldnews) ETC surgiu a partir de um fork do Ethereum na ocorrência do hack do DAO; apesar da motivação para a listagem do ativo não seja conhecida, rumores indicam que seria devido ao fato de que Barry Silbert, um dos primeiros investidores da Coinbase, seria um dos maiores detentores do criptoativo.

 

CoinMarketCap afirma que o glitch de seu sistema de dados distorceu os preços das criptomoedas (Moneycontrol) No dia 3 de agosto houve um glitch no CoinMarketCap, um dos sites de indexação de preços de cripto mais usados, inflacionando o preço de várias criptomoedas; esta falha do sistema surgiu dois dias após o lançamento do API profissional da empresa.

 

Bitmain invistirá US$ 500 milhoes ao longo de 7 anos em centro nos EUA como parte do projeto de expansão (Coindesk) A Bitmain diz que o centro dará emprego para 400 moradores da cidade de Rockdale, no Texas, e que começariam operações de mineração tão cedo quanto no começo de 2019.

Afinal, qual é a diferença entre um hard fork, soft fork, e uma bifurcação de rede? (John Light; Medium) Com frequência escutamos essa palavra: “fork”, mas afinal, o que é um fork? John Light explica as variações de ambos soft forks e hard forks de maneira didática, exemplificando que uma bifurcação do blockchain nem sempre acontece quando há um hard fork.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>